Laticínios MB investe para elevar capacidade

Empresa processa entre 60 mil e 90 mil litros de leite por dia.
MICHELLE VALVERDE
O Laticínios MB Ltda, detentor da marca Produtos Jong, com sede em Lima Duarte, na Zona da Mata mineira, vai investir de R$ 1,5 milhão a R$ 2 milhões, até 2011, na ampliação da capacidade produtiva e da mecanização da indústria. Os principais produtos do laticínio são os queijos.

Para ampliar as vendas através da garantia de qualidade alimentar, a empresa também realizou inversões na adaptação da unidade fabril para obter certificação. Com os aportes a capacidade produtiva da indústria será ampliada entre 40% e 50%.

De acordo com o diretor da empresa, Bernardo Bahia, o laticínio está operando próximo à capacidade instalada. Por dia são processados entre 60 mil e 90 mil litros de leite. A variação ocorre dependendo do período de safra do leite. A produção diária pode alcançar cerca de 200 toneladas de queijo por dia. Além dos 20 tipos de queijos especiais, ainda são fabricados requeijões e manteiga.

"A demanda pelos nossos produtos é crescente devido à tradição da empresa e aos investimentos constantes no aprimoramento dos processos e da qualidade. Os aportes serão essenciais para ampliar nossos negócios e no futuro investir nas exportações. Já estamos aptos a exportar, porém os preços no mercado internacional ainda não estão satisfatórios", disse Bahia.

No primeiro semestre o faturamento da empresa cresceu cerca de 5% frente aos resultados obtidos em igual período do ano anterior. A receita gerada no intervalo não foi informada. De acordo com Bahia, antes da crise econômica mundial, o faturamento do laticínio apresentava crescimento anual de 15%. Em 2009, os resultados se mantiveram estáveis ao gerado no ano anterior.

A redução do ritmo de crescimento se deve à queda registrada na demanda e nos preços do leite em pó no mercado internacional, o que provocou a maior oferta de produtos lácteos no mercado interno e, conseqüentemente, queda nos valores de comercialização.

A expectativa é que o ritmo seja recuperado entre 2010 e 2011. Além da retomada da economia e dos preços do leite no mercado externo, a ampliação do mercado consumidor, com o aumento da renda da população, poderá resultar em um crescimento expressivo do laticínio.

"O nosso maior mercado é o Nordeste do Brasil. A demanda na região por produtos diferenciados é crescente e impulsionado pelo maior poder de compra da população. Para ampliar nossa atuação estamos investindo no aprimoramento da qualidade dos nossos produtos", disse Bahia.


Certificação - Entre 2009 e o primeiro semestre de 2010, foram investidos cerca de R$ 100 mil na adaptação da fábrica e no treinamento dos funcionários para que a empresa obtivesse certificação. O Laticínios MB foi a primeira indústria contemplada pelo Programa de Qualidade para Certificação desenvolvido pelo polo do leite e pela empresa de origem alemã TÜV Rheinland.

O laticínio recebeu o certificado com o selo prata. A categoria avalia a Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), que deve estar de acordo com as práticas de segurança do leite.

O polo do leite fechou acordo de cooperação técnica com a TÜV Rheinland para a realização de treinamentos, preparações para certificação e auditorias, visando adquirir o selo para setor lácteo mineiro com a chancela da certificadora.

O foco inicial do projeto são 100 indústrias das regiões mineiras da Zona da Mata e Campos das Vertentes, já mapeadas, tanto os fornecedores, quanto as indústrias, prevendo até a certificação com ISO 22.000. O objetivo é o desenvolvimento sustentável do agronegócio do leite na região.

"As certificações irão fortalecer a excelência na produção de laticínios da região, garantindo a qualidade local já consagrada do leite e de seus derivados, bem como favorecer a entrada no mercado internacional desses produtos", afirmou o representante técnico da TÜV Rheinland, Daniel Gularte.

Fonte: Diário do Comércio

Publicada em quarta-feira, 21 de julho de 2010



Clique em alguma Notícia para saber mais:
SEMINÁRIO TÉCNICO CAP-LAB
Rabobank prevê recuperação de preços lácteos apenas no 2º semestre
Sangue francês na produção de leite do país
Fundação Banco do Brasil libera R$ 247 mil para fábrica de leite em MG
Estímulos à produção de leite precisam incluir metas de desburocratização
Leite no centro das prioridades
A importância da produção de leite e carne
Piracanjuba lança Pirakids Vitamina
Cresce em 4,23% a aquisição de leite pelas indústrias de MS em 2014
Produtor de leite em SC recebe em março 6,25% mais de laticínios
Água
Com preços congelados há 3 anos, produtores de leite desafiam setor
Justiça bloqueia bens de empresas investigadas por fraude no leite
Cresce em 4,23% a aquisição de leite pelas indústrias de MS em 2014
Governo prepara programa para melhorar qualidade do leite
Promotor fala sobre Operação Leite Adulterado
Produção de leite mais que dobrou nos últimos 15 anos no Brasil
Presos por fraude no leite deixam Presídio Estadual de Erechim, RS
Coonai investe R$ 2 mi em central de leite em Patrocínio
Por que o preço internacional dos alimentos está caindo?
Funcionários fazem protesto em frente à antiga Laticínios Bom Gosto em Garanhuns
Operação da PF apreende mais de duas toneladas de queijo adulterado
Produtos de maior valor agregado colaboram para aumento do lucro da Vigor
EUA: 66% das vendas de laticínios vêm de 3% das fazendas
Rio Grande do Sul quer resgatar credibilidade do setor leiteiro
Coonai investe R$ 2 mi em central de industrialização de leite em SP
IGL apresenta projetos de lei para setor lácteo gaúcho
Sucesso de atividade leiteira vai além de ajustes nos preços do mercado
Funcionários da Lactalis mantêm greve
Diretor visita cooperativa de produção de laticínios



Para ver um histórico com todas as notícias, clique aqui.



















  




Em sua opinião, qual seria o melhor presidente para o agronegócio do leite?

Aécio Neves

Dilma Rousseff

Nao sei

  [ Votar ]
  [ Resultado ]

LATICINIO.NET - www.laticinio.net - laticinio@laticinio.net
Rua Dr. Ávila, 25 / 302 - Paineiras - Juiz de Fora - MG - CEP 36016-100
Telefone: (32) 9928-2478
Developed by